Minha culpa, minha máxima culpa!!!

Meu Deus, como é difícil.

Angelina está doente. Uma gripe chata, acompanhada de tosse, faz quase 2 meses. Tentei homeopatia, num primeiro momento deu certo. Depois ela começou piorar, o pai ficando bravo porque aquela “aguinha” não tava resolvendo nada. Liga para o pediatra e ele responde que é pra dar só um remédinho que ele tinha indicado e que isso “é normal em criança que vai na escola“.

De segunda a sexta Angelina fica o dia todo na escola. Nos finais de semana tenho trabalho, casa pra cuidar, e mil coisas. Ela acaba ficando boa parte do tempo com a vovó. E com a mãe, quando ela fica? Quando a mãe dá o remédio na hora certa? A que ponto está a paciência da mãe no fim da noite?

Na noite de sábado para domingo ela pouco dormiu. No domingo levantei, fui trabalhar e a vovó ficou com ela, doente. Na segunda levei pra emergência, o pediatra acrescentou um remédio e, graças a Deus, ela dormiu melhor.

Acho que o feminismo foi inventado por um homem, para que, além de continuarem sem as tarefas domésticas, ainda tivessem alguém para dividir as despesas.

E as despesas?! Ai, ai… nunca mais se tem um planejamento pós-filhos. É farmácia, fralda, leite, roupa que fica pequena, tudo.

Tenho acreditado que o feminismos está muito mais ligado a materialismo. Porque trabalhamos tanto? Para ter dinheiro e comprar coisas e coisas.

Será que ela ter mil roupas novas, fraldas da melhor marca, viajar, passear, comer fora, etc a faz mais feliz? Ou será que ela só precisa da mãe bem pertinho, brincando, dando carinho e protegendo?

Tenho me sentido muito ausente na vida da Angelina (e da Maria Eduarda também que sofreu prejuízo em dobro já que o pouco tempo que tenho com ela é dividido). E isso não está legal.

😦

1 comentário (+adicionar seu?)

  1. Maria Percilia
    jul 03, 2012 @ 19:44:10

    Sabe Karina quando eu era criança minha mãe me deixava na creche porque também precisava trabalhar,e sabe a única coisa que eu queria quando estava lá “queria que o dia passasse logo para eu estar com ela de novo,eu era bem pequena e não gostava de lá,eu vivia doente,chorava muito,sentia tanta saudade dela que no final de semana ficava grudada nela o tempo todo com medo de ela me deixar lá de novo”,ela me dizia que aquilo era necessário que ela precisava trabalhar para nos sustentar,eu não queria entender nada disso,QUERIA APENAS FICAR COM A MINHA MÃE……

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: