A irmã mais velha

Muita gente pergunta como está sendo a reação da Maria Eduarda com a chegada da irmãzinha. Durante a gravidez fui alertada várias vezes sobre as possíveis reações dela, desde de ciúmes e crises a pequenas violências e crueldades infantis.

Bom, a reação dela foi bem melhor do que eu esperava. Já imaginei que ela fosse ficar grudada e curtir a idéia, mas não imaginei que chegasse a tanto. Ela está encantada com a irmã mais nova, as vezes acho que ela está brincando de boneca. É minha companheirona e uma super ajudante. Nos dias que ela não está em casa sinto muita falta. Atitudes pequenas como pegar o sabonete, esvaziar a banheira e me encher de beijos pela manhã perguntando se eu quero leite fazem meu dia mais tranquilo e feliz.

A dica para as mamães que passam por esse situação é que deixem os mais velhos participarem de tudo, desde o início. A Maria abriu o resultado do exame, ajudou escolher o nome, as roupinhas pra maternidade, a cor da decoração. É importante pensar que o recém nascido precisa de mais cuidados, porém, os mais velhos precisam de mais atenção e carinho. É importante que eles estejam inseridos na rotina para não se sentirem substituídos. Outro detalhe é não deixar a criança perceber que está sendo privada de atitudes como subir no colo da mãe enquanto está grávida ou passar a mão na barriga e, depois, no recém-nascido. Eles são impulsivos e nem um pouco delicados mas a mãe deve aprender defender a barriga e o bebê e nunca assustar a criança com aqueles impulsos de “não pode, tira a mão, cuidado”.

Com isso tudo a Maria tem tido mais ciúmes da irmã (no sentido de defendê-la e protegê-la o tempo todo). Quando recebemos visitas ela tenta chamar a atenção pra ela, mas dou um jeito de inserí-la na conversa ou tirá-la da sala.

Tem aqueles momentos também que a mamãe tem que se virar em duas, como por exemplo dar de mamar pra uma e pintar as unhas da outra. Ou balançar o carrinho com uma mão e fazer cafuné com outra… por aí vai.

as malinhas continuam

Bom dia!!!

Hoje é quinta-feira e vamos passar o fds na casa da vovó. É tanta coisa pra levar que estou aqui perdida. Na primeira vez que saí com a Angelina a malinha foi bem pequena e básica, agora tá aumentando a cada dia. Com esse frio então, nem se fala. E ainda tem a malinha da mamãe, da Maria Eduarda e a Dory (com sua respectiva malinha de ração, areia, caixa, potinhos). Depois tem o carrinho e o bebê conforto. Ufa!!!

Sobre as roupas vou deixar uma dica tanto para mamães quanto para amigos e familiares que querem presentear os bebês. A Angelina ganhou muita coisa linda e eu comprei também. Porém, faltaram peças básicas e confortáveis. Ela fica muito incomodada com golas que viram pro lado da bochecha e fica se beliscando e arranhando. Na segunda noite do hospital já tive que tirar o lindo macacão azul marinho com borboletas pq ela só chorava. Fui comprar um macacão básico, quentinho e confortável pra ela nanar agora no frio e não achei nada. Só bodys e calças mesmo. Então, as roupinhas bonitas são só para passeios, em casa precisa de muita coisa confortável porque recém nascidos dormem a maior parte do tempo.

A outra notícia é que ontem, finalmente, caiu o umbigo. Fiquei tão aliviada… A vovó disse que tem que enterrar no quintal, não sei o motivo, mas vamos enterrar né. Agora tem que continuar fazendo a limpeza com álcool e cuidar pra ela ter umbigo bem bonitinho, colocar piercing, sair de barriguinha de fora (que o papai não leia isso, rsrs).

Ontem tive retorno com a dra. Valéria. Está tudo ótimo na cicatrização. Agora a preocupação é evitar outro bebê né. As opções durante a amamentação são: camisinha, pílula e diu. O agravante da pílula permitida durante a amamentação é que provoca depressão por um mês. O diu pra mim é uma coisa estranha. Estou bem na dúvida ainda, marido e eu estamos conversando bastante e pesquisando sobre o assunto. Essa coisa de depressão é complicada. Eu não sabia, mas a depressão pós-parto pode surgir em até um ano após o nascimento do bebê. Coisa complicada viu.

Enfim, bom fds a todos… bjos grandes de nós 🙂

look inverno

Fraldas, banho, umbigo e pediatra

Olá Amigos… Como podem ver, as atualizações já não são tão constantes… estou no período de descansar enquanto filhinha descansa.
A sensação é única… olho pra ela e vejo que nunca mais serei sozinha, uma emoção constante. Felicidade sem fim 🙂
Agradeço a Deus o tempo todo.
Hoje vou falar rápido desses assuntos que nos assustam durante a gravidez, é grande o medo de não dar conta.
No hospital ganhei um kit onde tava escrito: “quando nasce um bebê, nasce um pai e uma mãe” e é uma grande verdade, não sei de onde sai tanta coragem e tantos conhecimentos nunca vividos. Vamos lá:

Fraldas: a primeira troca foi em equipe, Maria desbotoou o macacão, Daniel ajudou arrumar os itens necessários e eu fui fazendo as coisas, passo-a-passo, como aprendemos no curso. Minha mãe ficou supervisionando. Foi praticamente um espetáculo. Logo em seguida, a rotina da casa recomeça e tudo tem que acontecer. Posso dizer que é igual andar de carro, logo depois de algumas aulas fazemos tudo automaticamente. Logo na primeira noite foram duas trocas de fralda e eu sozinha. Dia da consulta do pediatra ela fez sujeira quando estava quase na hora dela entrar, tive que trocar rapidinho. Então, estou craque já.

Banho: essa parte fiquei com mais medo. O primeiro foi o Daniel (com a ajuda da Maria) eu fiquei do lado ditando as técnicas do curso. Nessa hora minha mãe nem estava aqui. Do segundo banho em diante ficou por minha conta mesmo. Hoje já preparo banho, roupa e tudo que é necessário sozinha, as vezes nem tem ninguem em casa. E o melhor: ela nem chora :)… estou craque nisso também.

A Maria ajuda muito na hora do banho e da troca de fraldas, ela cuida da organização das coisas, arruma as fraldas na caixinha, o algodão, tira a água da banheira quando acaba e fica conversando com a irmãzinha enquanto faço as coisas que a incomodam. Nos dias que ela não está em casa sinto muita falta. Sinceramente, nessas horas ela ajuda mais que o papai. Acho que a mulher já nasce com certos instintos.

Umbigo: assunto muito temido, ouvi tantas histórias de “foi uma tia que curou o umbigo”, “eu tinha uma enfermeira que vinha em casa até cair o umbigo” e por ai vai. Não é difícil mas nesse aspecto acho que me atrapalhei um pouco. Na verdade eu nunca tinha visto e entendi errado nas explicações. A limpeza tem que ser feita até dentro do umbiguinho, lá no comecinho do cordão. Eu estava limpando e secando por fora mas não tão profundamente quanto deve ser. Por isso está demorando um pouquinho pra cair. Ela já tem 12 dias e o umbiguinho tá ali ainda. O pediatra disse que é de 5 a 20 dias, estamos no prazo ainda, mas confesso que fiquei um pouco triste quando soube que não estava fazendo totalmente certo.

Pediatra: a escolha é delicada. Conversei com muitas mamães, tinha a pediatra que a Maria ia mas o Daniel não gostou muito. A Érika indicou o dr. Marco Volponi e ficamos muito satisfeitos. Ele é um amor. Essa escolha deve ser feita com calma e é importante que o médico tenha o jeito de vocês. A primeira consulta foi uma semana após o nascimento, a próxima é daqui um mês. Foi um dia muito feliz. Ele conversou bastante, examinou a Angelina e nos deu muitos parabéns. Ela engordou 180gramas em uma semana, estava muito calma e saudável. Ganhamos muitos parabéns do “tio”. Minha mãe então, saiu de lá rindo de orelha a orelha, cheia de orgulho. Foi muito legal. Fora a parte do umbigo que ele explicou como era, tudo estava na mais perfeita ordem. E ele ainda disse que era só eu continuar calma assim que iria querer ter mais uma meia dúzia. hahaha… mal sabe ele a calma da pessoa.

E agora vamos ver algumas fotos né…Angelina já está com dobrinha e bochechas, muda todo dia e cada dia mais linda… nosso anjo lindo Angelinda 🙂

primeira foto em família

fotos: www.dancastilho.com.br

Olha meu look no niver da mamãe

fotos: www.dancastilho.com.br

vontade de morder

Já chega Papai

Amamentação

Olá!
São 3horas da madrugada, Angelina mamou, trocou, mamou de novo e dormiu. E a mamãe perdeu o sono e veio aqui falar um pouquinho sobre amamentação.
Como eu já contei lá no começo de tudo, o primeiro sintoma da gravidez foi o aumento dos seios e esse é um detalhe importante pois indica que o peito está se preparando.
Ouvi mil histórias sobre as dificuldades para amamentar, para descer o leite ou para a criança pegar o bico e fui me preparando para encarar esses desafios também.
Porém, Angelina é mesmo um anjo. Meu peito estava pronto, o bico ficou muito escuro e pontudo. Os seios imensos.
Quando a enfermeira trouxe a pequena para o quarto, logo depois de eu ter voltado da sala de recuperação da cirurgia, ela (a enfermeira) foi me entregando a Angelina e explicando como deveria colocá-la no bico. A moça nem tinha completado a frase e a fominha já tinha abocanhado o peito e tava sugando direitinho. Foi a coisa mais linda… a moça ficou espantada, disse que não é comum. Quando contei isso para o pediatra ele ficou todo admirado também, disse que essa é a melhor maneira de se pegar, que eu tive muita sorte e deu muitos parabéns pra ela.
Não tinha leite, só o colostro que é muito importante no início da vida. Nas duas madrugadas no hospital pedimos para as enfermeiras darem um pouquinho do complemento. Na sexta, quando chegamos em casa ela tava chorando bastante e tomou um pouquinho de Nan 1 pró, mas ela não faz muita questão, toma pouco e com má vontade. No sábado meu leite desceu… e como desceu, graça a Deus.
Desde então ela só precisou do complemento uma noite que ela sugava e chorava, acho que não tinha muito aquela hora. De resto, só leite materno.
Ela engordou 180gramas em 1 semana e dorme o tempo todo, está super saudável.
Ah, outro detalhe é que o horário das mamadas é a hora que ela pede. A noite eu estava acordando-a e o pediatra disse que não precisa, só se o peito tiver muito cheio e doer. Se não for por esse motivo pode deixá-la dormir a noite toda.

Alimentação:
Por orientações médicas evito café, chocolate, chá preto, brócolis, couve e repolho pois isso tudo pode provocar as cólicas. Muita canjica que a tia Tóia fez pra mim. Leite, yogurte, sorvete. De resto tudo igual estava na gravidez, como o dia todo, um pouquinho por vez. Acho que tenho mais fome agora que quando estava grávida.
Minha mãe e meu pai lindos estão cuidando muito de mim e na geladeira tem sempre coisas gostosas. Só me resta comer 🙂

Sobre o momento de amamentar:
Ganhei da Mari Borges uma almofada de amamentação e já deixo a dica – é ótimo!!! Quando for presentear alguma grávida, compre sem medo de errar. E, grávidas, tenham esse item como prioridade na sua lista. Nem precisa de poltrona, encosto numa almofada em triangulo na minha cama e é o melhor momento, ela fica confortável e eu também.
O bico dói um pouco, isso não tem jeito. Uso uma pomadinha de lanolina, seco com secador e tenho paciência, não tem muito o que fazer.
Teve um dia que senti mal e muitas dores no corpo todo, mas isso aconteceu porque amamentei na sala duas vezes no mesmo dia, recebi visitas, o Daniel não tava em casa e achei chato ir pro quarto.
Hoje a dona Conceição, a anja que cuida da minha casa uma vez por semana, ensinou uma coisa muito importante – a hora da amentação é sagrada, não se atende telefone e nem tem que conversando. Sábia d.Con, ela está muito certa. E tenho certeza que qualquer visita entende se eu pedir licença e ir ficar quietinha, não tem nada demais nisso, foi bobagem minha mesmo.
Quando estamos nesse momento converso muito com a Angelina, ela segura meu dedo e a gente reza. É o momento que posso abençoá-la e agradecer ainda mais por esse presente de Deus.

Quanto às futuras mamães a dica é que se preparem para amamentar… sol no bico do peito, massagens para modelar o bico (eu usava toalha depois do banho, dói um pouco), bucha vegetal. Cursos, enfermeiros e médicos falam que não precisa, mas eu fiz. Muita coisa a gente deve seguir o instinto. Preparem-se também para não-amamentar. Existem, de fato, muitas dificuldades e as vezes não tem jeito mesmo. É preciso paciência tanto se der tudo certo quanto se não der.

O banco de leite tem enfermeiros à disposição que podem orientá-las em todas as situações.

Beijinhos… vou tentar nanar agora antes da próxima mamada.

p.s. – o pediatra da Angelina é o dr. Marco Volponi, foi indicação da amiguinha Luiza. Ele é um fofo, depois vamos falar da primeira consulta.

O primeiro banho e outros looks

outra tarefa em equipe - o primeiro banho

Angelina Rocha Castilho

a primeira foto oficial, ainda no berçário

look de sábado - confort...

look domingo - básico

look segundona - me dá um tempo

a decisão sobre o parto

Olá para todos 🙂

Primeiro Feliz dias das Mães pra todas as mamães do mundo, que merecem muito… não tenho muitas palavras bonitas para esse momento porque amor de mãe não se define.

Antes quero deixar registrado uma frase que copiei de alguém no FB – “não sei o que mais me fortalece, se minha filha ou minha mãe“… e para essa, a minha mãe, menos palavras ainda encontro…

Bom, quero continuar escrevendo no blog e contando alguns detalhes que possam ajudar futuras mamães de primeira viagem, vou tentar. Primeiro vou falar sobre a decisão do parto e como tudo aconteceu.

Desde o começo eu queria parto normal principalmente pra que ela pudesse escolher a hora de nascer e, também, porque a idéia de cirurgia me apavora.

Na quarta-feira (dia 4 de maio) fomos para a consulta semanal. Na véspera da consulta não dormi, fiz xixi de meia em meia hora, senti dores diferentes e comentei com o Daniel que Angelina nasceria dia 4. Como ela continuou mexendo bastante senti confiança em esperar o horário da consulta que era bem de manhã. (eu teria ido para o hospital se ela não tivesse tantos movimentos, prestem atenção nesse detalhe).

Na consulta foi verificado perda de líquido e quase final de tempo (faltavam 2 dias para completar 40 semanas). Também vimos que ela tinha ganho pouco peso (menos de 200 gramas por semana), então isso significa que a placenta já estava madura. A resposta da médica foi que ela teria de nascer no mesmo dia. O Daniel perguntou se poderia esperar pelo dia seguinte e ela disse que não.

Ela deu opção de “parto induzido”, no qual eu deveria comprar um remédio pra colocar na vagina que iria abrir o colo do útero e tomar medicamentos para induzir as contrações. O colo do útero estava bem fechado e a Angelina bem alta ainda, não encaixada e mexendo muito. Achei que seria um trabalho de parto muito longo e sofrido para nós duas que poderia não evoluir. Então a decisão pela cesárea foi minha, pensando no conforto dela e, acredito, que foi o melhor mesmo.

Ficamos duas semanas tomando remédio para inibir e agora medicamento para induzir achei agressivo demais.

A questão psicológica com a cirurgia foi difícil. Senti muitas dores (e ainda to sentindo) nas costas por causa da tensão e muito medo. O corte ainda limita um pouco mas bem menos do que eu imaginava. Optei por usar “dermabond”, é uma cola no lugar de pontos, então não tenho essa preocupação. Já tomei banho sozinha no hospital mesmo e só uso uma pomada cicatrizante. Gostei muito, valeu a pena pagar por essa “cola”.

A Angelina nasceu perfeita, saudável e linda. Nos próximos posts conto sobre leite, amamentação, banho, fralda, etc.

Agora vou seguir as recomendações médicas – bebê acordada, mamãe acordada.. bebê dorme, mamãe dorme 🙂

Beijos a todos e, mais uma vez, muito obrigada por tanto carinho, orações e energia positiva!!!

Angelina – primeiros momentos

primeiro contato com a mamãe no quarto e o primeiro look - oncinha

primeira foto com a vovó Zete e o vovô Zezinho... (acho que eles deveriam ter levado os babadores)

segundo look no hospital - azul com borboletas

primeiro encontro das irmãzinhas

tarefa realizada em equipe - a primeira troca de fralda

o tio precisa muito do babador dele...

E sobre a irmãzinha mais velha preciso registrar as primeiras palavras dela, em casa:
*suspiros*… “Parece que eu to sonhando. Porque desde que a gente soube que você tava grávida, todo dia eu sonhava com minha irmãzinha assim”

04 de maio de 2011

Olá amigos e amigas!!! Angelina chegou 🙂
Detalhes conto depois com calma e sempre procurando compartilhar as dúvidas e incertezas com tantas mamães inexperientes como eu.
Foi tudo bem, Graças a Deus.
Muito obrigada pelo carinho e pelas orações de todos.
Chegamos hoje em casa, ainda estamos entrando no ritmo.
A Angelina é linda, uma benção de Deus na nossa vida. Papai Daniel e irmãzinha Maria Eduarda estão ajudando bastante e vovó Zete tá aqui cuidando da filha dela.
É uma felicidade sem fim e sem descrição!!!!

Chegou a hora…

Oração a Nossa Senhora do Bom Parto

Ó Maria Santíssima, vós,
por um privilégio especial de Deus,
fostes isenta da mancha do pecado original,
e devido a este privilégio
não sofrestes os incómodos da maternidade,
nem ao tempo da gravidez e nem no parto;
mas compreendeis perfeitamente
as angústias e aflições das pobres mães
que esperam um filho,
especialmente nas incertezas do sucesso
ou insucesso do parto.
Olhai para mim, vossa serva,
que na aproximação do parto,
sofro angústias e incertezas.
Dai-me a graça de ter um parto feliz.
Fazei que meu bebé nasça com saúde,
forte e perfeito.
Eu vos prometo orientar meu filho
sempre pelo caminho certo,
o caminho que o vosso Filho, Jesus,
traçou para todos os homens,
o caminho do bem.
Virgem, Mãe do Menino Jesus,
agora me sinto mais calma
e mais tranquila porque já sinto
a vossa maternal protecção.
Nossa Senhora do Bom Parto,
rogai por mim!

Sobre as malinhas e sobre ansiedade

Sobre os pijamas e camisolas que vou levar para a maternidade, escolhi tudo de algodão, bem confortável e colorido. O melhor lugar para comprar achei na loja July-ene (acho que é assim que escreve), lá no calçadão. Soutien para amamentação e calcinha pós-parto lá também tem e é mais barato.
Hoje acrescentei uma manta de lã, mais pesada, tá esfriando e é melhor estar preparada né.
Segue uma foto de tudo prontinho. Não vou mostrar o que tem dentro porque da minha parte é tudo muito íntimo e da parte da Angelina quero mostrar com ela usando 🙂

Sobre a ansiedade de final de gravidez que tanto me falaram e me perguntam. Vou confessar – não sei o que é isso.
É tão estranho porque estou muito bem, o começo foi bem mais difícil com relação a incomodos. Agora to super disposta e dormindo muuuuito. Acho que meu corpo tá se preparando mesmo para o batidão. Não sinto peso nem dores. E nem inchada to mais, nem um pouquinho. Só sei que to grávida por causa da barriga e, graças a Deus, a Angelina mexe o tempo todo, então sei que tá tudo bem com ela. O meu único medo é não saber se tá na hora de ir para o hospital, interpretar os tais sinais acho que é complicado. Fico torcendo para virem os sinais mais “desenhados” como rompimento da bolsa ou aquele “borrão” escuro na calcinha. Essa coisa de contrações ritmadas e iguais não consegui entender ainda, mesmo porque tenho contrações todo dia, muitas vezes por dia e olho no relógio pra ver em quanto tempo vai se repetir.
Acho que não estou com tanta pressa porque tudo passa tão rápido. Outro dia mesmo era só um feijãozinho, agora é um barrigão…
Conheci a Maria Eduarda com 3 anos, agora ela tem 6 e tá cada dia mais moça.
Seguem algumas fotos sobre isso tudo.

8 semanas de gravidez

e em muito pouco tempo chegamos a 39 semanas com muita disposição

a princesa linda e moça 🙂

Entradas Mais Antigas Anteriores