Chá de bebê

Hoje fui até a KikiBaby montar a minha “banca” para o chá de bebê. Peguei uma lista sugerida na Agenda da Futura Mamãe e na net. Chegando na loja a moça me deu um carrinho e disse pra eu ficar a vontade, que se precisasse era só chamar. Peguei minha lista e descobri que eu nem sabia como pedir ajuda de tanta dúvida que tinha. Escolhi um montão de roupas lindas. A lista pedia um tanto de roupas mas eu não conseguia selecionar, tudo é lindo… tudo é rosa, tudo é lilás, um luxo.
Depois fui para a parte das mamadeiras e chupetas. Alguém pode imaginar o tanto de tipos de bicos que existe? E cortador de unha? Vi pelo menos três modelos diferentes e não tenho idéia de como manuseá-los. Fui entrando em desespero e só estava no meio da loja. Depois tem lençol de berço, de carrinho, protetor de berço, carrinho e bebê conforto. Pagão é uma coisa, culote é outra, coisas com pé, sem pé, com manga, sem manga. Macacão tem de todo tipo… atoalhado, plush, lã, uma infinitade.
Depois a menina cresce e quer uma bolsa cor creme porque é diferente da cor bege e o pai reclama. Nossa…
Ah… e tem também manta e vira-manta… depois tem cueiro. Cada coisa é uma.
Infelizmente não encontrei para vender um “manual” com desenhos, gráficos e definições teóricas muito bem explicadas. Nessa hora só encontro uma palavra de socorro “manhêeeee”.
E falando nisso, sempre ouvi dizer que DEUS É PAI e um dia desses ouvi que DEUS É MÃE. Mas a definição mais correta é a de que DEUS É VÓ. “Punto e basta”
E já que o assunto é chá de bebê, com um tanto de atraso, seguem as fotos do chá de bebê lá no ibilce que foi em dezembro. Uma vez mais, obrigada meninas, de coração!!!! É muito bom o carinho que temos por aí… Olhem o meu barrigão de 19 semanas 🙂

a cesta de lembrancinhas

o bolo de fraldas

e a Luiza ainda estava no forninho

muitos presentes... quanto mimo :)

amém!

presentes abertos!!! quanta coisa boa 🙂

e olha aí a vovó Zete

Milene (super amiga), eu e a Luiza (madrinha do meu casamento e vó de coração)

Lavando as roupinhas

E hoje é sábado!!! Dia de folga??? Que nada… se você está grávida ou pretende ficar lembre-se que isso não te pertence mais, rsrs. Brincadeira (ou não)!!!
Faz uns dias já que comecei lavar as roupinhas da Angelina. Pedi opinião pra minha mamys e pra outras amigas que já tiveram filhos, pesquisei na internet e encontrei o meu jeito próprio de cuidar desse assunto.
Comprei sabão de coco em pó (eu queria líquido mas não tinha no supermercado e eu não queria esperar mais pra começar).
Antes de começar, separei as roupinhas por tipo, cor e tecido. Comecei pelas toalhas e fraldas, que são todas brancas e grandes.
Coloquei sabão no tanque e fiz uma água com bastante espuma. Deixei tudo de molho por um tempinho e fui esfregando um por um, com cuidado para não estragar, afinal, a intenção é retirar resíduos e não sujeira nem manchas.
Depois disso, enxaguei com bastante água limpa, torci na mão e estendi. Simples e sem muito esforço.
A próxima estapa foram os bodys, camisetas, calças e macacãozinhos brancos de tecidos leves.
Com tudo bem sequinho, passei com o ferro bem quentinho para eliminar qualquer bichinho que por ali estivesse.
Vocês devem estar me achando um tanto precipitada (comecei isso com 28 semanas, já estou na 30a.) mas são muitas coisas e por mais simples que seja, leva tempo e cansa. Imagino que quanto mais as semanas passam, mais vai cansar.
Ainda nem fiz o chá de bebê na família e já tem um monte de coisa, essa menina já é muito paparicada.
Limpei todas as gavetas da cômoda e do guarda-roupa onde ficarão as coisinhas dela com álcool e guardei tudo bem bonitinho. A princípio pensei colocar num saquinho plástico próprio, mas as gavetas estão tão limpinhas, moro no 2o. andar nem formiga nem pó chegam aqui, acho que tá bom assim. Se eu perceber alguma coisa providencio os saquinhos.
A próxima etapa são as roupinhas coloridas e as de inverno, com tecidos mais pesadinhos.
O fato é que tenho trocado qualquer descanso ou passeio de sábado (e olha que to resfriadinha) para ficar babando em tanta coisa linda, é bom demais preparar tudo para a chegada da minha princesa 🙂
Beijos pra todos e bom sabadão!!!!

Parto normal x cesárea

Relutei muito para escrever sobre esse assunto porque, no início, fiquei muito decepcionada quando descobri que teria de iniciar uma verdadeira guerra para, ao menos, tentar um parto normal e decidi não falar mais sobre o assunto. Essa semana saiu uma matéria no BomDia (http://www.bomdiariopreto.com.br/Noticias/Dia-a-dia/45764/A+supremacia+cesariana) e decidi compartilhar a minha trajetória e opinião sobre o assunto.
Sempre pensei que parto é o natural. Cesárea é cirurgia, não parto. Isso é uma coisa minha. Tenho muito medo de hospital e, principalmente, da dependência. Ficar limitada por causa dos pontos é algo que me deixa incomodada.
Em todos os sites, revistas etc que falam sobre as vantagens e desvantagens dos tipos de parto, o normal sempre ganha. Conheço muito poucas mulheres que tiveram filhos de parto normal e acreditei sempre que era só uma questão de opção.
Então, na minha cabeça, isso era algo muito simples e não teria nenhum problema.

Ok. Então vamos à trajetória agora:
– Escolhi a dra. Valéria muito antes mesmo de engravidar porque ouvi, numa conversa de salão, que ela incentiva o parto normal.
– Logo na primeira consulta, ela perguntou se eu tinha vontade de parto normal, eu disse que era prioridade pra mim e ela disse que é ótimo, que a maioria das pacientes já chega decidida pela cesárea. Porém, devemos estar preparadas caso seja necessário realizar a cirurgia.
– Após esse início, conversando com várias pessoas, ouvi muitas dizerem que a dra. Valéria incentiva mas não faz, que quando vai chegando perto, por um menor risco ou se for um parto demorado, ela acaba indicando a cesárea.
– Procurei outros médicos “defensores” do parto normal e a resposta foi a de que fariam sim o parto como eu quero, porém não pode ser feito pelo convênio, só particular. Algo em torno de 2mil reais para o médico mais o restante que precisa pagar no hospital.
– Voltei na consulta seguinte com a dra. Valéria e conversei francamente sobre o assunto, ela disse que faz parto normal mas que por vezes não é possível mesmo. Ela me traz muita segurança no pré-natal e penso que essa deva ser minha prioridade nesse momento.

Diante disso tudo fiz muita pesquisa e cheguei à conclusão que:
1. o governo faz campanhas lindas para as mães mudarem de idéia mas não incentivam na prática, nem investem na estrutura necessária para melhorar as condições dos médicos e hospitais.
2. os convênios se importam muito pouco, ou quase nada, com os pacientes e os médicos.
3. os médicos tem as razões deles e não estão de todo errados, pelo menos são sinceros os que dizem que, financeiramente, não vale a pena pra eles e de tentarem minimizar os riscos com uma cirurgia programada.
4. as pessoas hoje buscam a praticidade e uma cirurgia com hora pra começar e terminar é muito conveniente para ambas as partes.

Porém, nada disso muda a minha opinião e o meu desejo de, simplesmente, esperar a Angelina se manifestar e nascer quando e como ela bem entender.
Claro que se for necessário fazer uma cesárea não vou ser menos mãe. Respeito muito a decisão de cada pessoa mas não consigo me imaginar na situação de acordar, tomar banho, trocar, pegar as malas e ir pro hospital, é uma coisa minha.

Enfim, desisti de brigar. Estou preparando meu corpo e minha mente na yoga e fazendo pesquisas sobre como me comportar no momento do parto para que nós duas estejamos prontas e possamos facilitar as coisas.

Agora é só esperar e acreditar que Deus está de olho na gente e iluminará o nosso caminho para que tudo seja perfeito e saudável 🙂

Beijos e bom fds!!!!

em tempo: de todas as pessoas com quem conversei que tiveram parto normal e cesárea, 100% diz que, se fosse fazer de novo, seria normal.

Roupa de grávida

Olá!!! Boa semana pra todos 🙂
Hoje vou falar sobre roupas, um problema diário e eterno para qualquer mulher, rsrsrsrs
Agora, com esse barrigão, a coisa ficou complicada. Roupa bonita de gestante é muito caro, o pessoal abusa mesmo, é igual noiva, sabe que a gente acaba pagando, seja por falta de opção ou por viver em fase de encantamento e achar tudo lindo, tudo vale.
Acho meio que desperdício investir em roupas que vou usar poucos meses, então estou me virando com os vestidinhos que eu já tinha antes. Ganhei dois vestidos de viscolycra da tia Tóia que salvam meus dias mais quentes.
O Daniel briga comigo, ele diz que preciso evidenciar a barriga, que nem estrias tenho e que eu deveria sair mostrando. Sinceramente, não gosto muito da idéia. Barriga a mostra só nas fotos. Sair por ai de top ou blusas abertas na frente não faz parte de mim. Acho bonito, mas não faço.
Penso que, mesmo na gravidez, devemos seguir nosso estilo e nos sentir bem (com um conforto a mais, claro). Nunca fui de sair de casa de barriga de fora e, agora, não é porque tem alguém aqui dentro, que deixou de ser o meu corpo, a minha barriga.
De qualquer forma vejo que as melhores roupas são as mais confortáveis, sem precisar sair desarrumada, é claro.
Agora preciso pensar num vestido pro casamento do Erik em abril (já estarei no nono mês) e na roupa que irei sair da maternidade. Alguma idéia?
Beijos, beijos 🙂

A importância do pré-natal

Desde que soube da gravidez imediatamente procurei a obstetra e isso tem sido fundamental durante todas as etapas que estamos passando. Parece bobagem ou redundância falar sobre isso mas é incrível como existem casos de pessoas que não fazem as consultas e exames necessários durante a gestação. Muitos por falta de informação, outros por desleixo, e por aí vai. Os postos de saúde oferecem o pré-natal completo e bem estruturado, não há motivos para não se cuidar e cuidar dessa nova vida.
Enfim, ontem foi dia de consulta com a dra. Valéria. Em quinze dias o peso de Angelina saltou de 811g para 1460g, agora é só engordando… (o Daniel disse que é de tanto eu comer feijoada, rsrs). Ela está super bem, graças a Deus, estava elétrica ontem… mostrou o rostinho, mexeu mãozinhas e pézinhos e deixou a perereca bem visível para não restarem dúvidas.
A pressão arterial está boa mas continuo tendo que controlar por semana. Isso é muito importante para continuarmos bem tranquilos.
De resto, seguem os sintomas. Dormir é raro e difícil. A fome é bastante e a vontade de só ficar fazendo coisas pra ela é imensa.
Estou com 7kg a mais na balança, não é muito mas faz uma diferença incrível.
Depois volto para contar sobre a decoração do quarto. Preparar a chegada de um bebê e mais gostoso que preparar o casamento… e olha que desse assunto eu gosto hein. To até pensando em incluir um link “baby” no meu site de casamentos (www.karinarocha.com.br) só para falar e dar dicas sobre esse assunto.
Beijos, beijos 🙂

Simplesmente: eu!!!

Casar, estar grávida, viver uma vida adulta é tudo de bom. Eu gosto de verdade. Sempre fui muito livre, leve, solta e independente. Vivi do meu jeito e sozinha até quase 30 anos, quando conheci o Daniel e achei que era hora de parar por ali. Foi uma decisão madura no momento que eu senti que deveria ser. Casamos, ganhei uma filha, uma vida em família, horários, responsabilidades, compromissos, satisfações. Ainda assim, escolhi e não me arrependo nenhum pouco. Acho bom demais ter uma vida pra chamar de nossa.

Depois veio a gravidez que é a coisa mais maravilhosa do mundo pra uma mulher. A barriga cresce, sinto cada vez mais esse alguém dentro de mim e a sensação é inexplicável. As vezes bate um medo do que vem pela frente mas sei que estou disposta a encarar e preparada pros desafios e medos.

Só que, de vez em quando, sinto saudades de mim. As pessoas me olham e dizem que to linda, que só engordei barriga, que tenho cara de grávida, etc. Da minha parte, quando olho no espelho, vejo que minha barriga é a maior benção, é linda mesmo. Os peitos estão mais bonitos também. Mas quando olho pra mim, enquanto mulher, só vejo um nariz imenso, inchado, redondo e feio. A pele manchada e os cabelos cada dia mais brancos e piores. É díficil me olhar como mulher, sinto-me só uma barriga que se arrasta.

Então quarta-feira resolvi tirar folga e ficar comigo. Convidei o amigo Edgar Machado (Didi, para os íntimos) e fomos ao cinema assistir Cisne Negro. Um filme sobre a loucura de uma bailarina… (aaah, e que saudades do balé também). Pude esquecer de tudo e me deixar invadir por uma história linda, emocionante e incrível. Muita risada e farra no shopping.

Na volta pra casa, eu de carro sozinha quase meia-noite na Andaló, um rapaz num carro do lado deu aquela paquerada. Óbvio que não dava pra ver a barriga, mas me senti o máximo e pensei “talvez meu nariz não esteja tão grande e feio assim”. Cheguei em casa toda sorridente e mais leve, renovagada. Quando comentei a história da paquerada no trânsito o Daniel morreu de rir, lógico. Em casa a gente não tem neuras de ciúmes bobos e ele sabe que isso não representa nenhuma falta de respeito nem ameaça à integridade dele.

Enfim, pude matar as saudades da Ká e ser, pelo menos por umas horas, simplesmente, eu!!!

Apresentando a Luiza Celeste

Para começar bem esta terça-feira linda, apresento a Luiza Celeste, filha dos amigos Érika e Rodrigo.
Cute-cute 🙂

Semana que vem a tia Ká e a Angelina vão visitar você e a mamãe tá bom?!

08/02/2011 – a Luiza chegou!!!!

E ontem a Érika ligou dizendo que tinham marcado o nascimento da Luiza pra hoje, as 10h. Pensa que eu conseguia dormir?! Deitei, rezei por elas, conversei com a Angelina explicando o que iria acontecer com a amiguinha e que logo é a vez dela…. Levantei, tomei água. Deitei de novo. Levantei, fiz xixi. Deitei. Dormi. Acordei. Olhei no relógio. Deitei. Acordei. E assim foi pelo resto da noite.

Passei a manhã olhando no relógio esperando das 11h pra poder ligar e saber como estavam. Liguei 11h22 pro Rodrigo e a Érika ainda estava na sala de preparação. Ele parecia calmo.

Cheguei à conclusão que se for pra marcar o dia pra Angelina nascer é melhor avisar só o Daniel e ele me leva sem avisar, porque se eu ficar sabendo um dia antes vou lá pro hospital e fico sentada esperando, hehehe.

Enfim, deixemos minha ansiedade de lado. As 14h o Rodrigo ligou, toooodo babão, dizendo que as duas estavam bem, que a Luiza é linda (alguém duvida?) e que a Érika estava na recuperação. Não perguntei muita coisa porque fiquei passada.

To até agora arrepiada, com vontade de pular, gritar, apertar, correr, sei lá. Mas vou esperar mais um pouquinho e depois ligar pra falar com ela. Semana que vem, quando as coisas estiverem mais calmas vou até a casa deles fazer uma visitinha.

E aqui deixo um video pra eles 🙂

27 semanas e os cuidados com a pele

Aí estamos nós, com 27 semanas de idade gestacional, 7kg a mais na balança e muito hidratante.

Falando um pouquinho hoje sobre os cuidados com a pele, estou usando óleo Natura Mamãe e Bebê pernas e pés (não é muito cheiroso mas a sensação é boa).

Na barriga, peito e bumbum uso Hidramamy da Mantecorp. No rosto uso Aceflan (é um ácido para prevenção de manchas) e filtro solar Sun Max sensitive. Isso indicado por dermatologista e aprovado pela obstetra. Lembrem-se de não usar produtos sem orientação médica.

A Mari, minha amiga de sp, sempre diz… “sou magra e tenho cabelo bom, mas pra compensar a pele…”. Digo o mesmo, rsrsrs. Meu rosto sempre foi de muita espinha e manchas. No final do ano na praia, com o solzão que pegamos lá, meu rosto ficou bem manchado. Já me falaram também que gravidez de menina mancha mais que de menino. Isso não sei. De qualquer forma continuo passando as coisas tudo certinho e depois, beeem depois, poderemos pensar num peeling ou outra coisa pra resolver.

Estrias não apareceram em lugar nenhum. A dermatologista dra. Gabriela disse que não há cremes milagrosos, depende de cada pessoa. Do pescoço pra baixo a oleosidade ajuda.

É isso. Um beijo grande, fiquem com Deus e até mais 🙂

Mais um susto pra ficar atenta

Ontem foi dia de um susto, mais um… serve pra eu ficar mais atenta.

Na última consulta com a dra. Valéria ela pediu para que eu fizesse controle rigoroso da pressão arterial e medir 2 ou 3 vezes por semana. Tive um final de semana tenso de trabalho, preocupações e aborrecimentos e ontem passei o dia em casa. Cuidei de coisas que eu gosto, ouvi músicas que eu gosto a tarde toda e assim foi. A noite tive vontade de yakissoba e resolvi sair para dar uma volta e passar no China in Box.

Antes, como tenho feito 2 ou 3 vezes por semana, passei na farmácia e minha pressão, que sempre está 10×6, estava 13×10. Fiquei muito assustada e corri para a Beneficência, conforme orientações da dra. Valéria. Chegando lá, acho que a coisa tinha piorado com o susto, batimentos cardíacos alterados e nem sei quanto tava a pressão porque a enfermeira não falou. Mas não devia estar boa pela correria que foi.

Ligaram para a dra. Valéria na hora, fizeram eletro no coração, verificaram batimentos cardíacos da Angelina e me deram um remédio. Depois disso fiquei mais de 2horas deitada numa maca e fui acalmando.

Voltei pra casa, dormi bastante, acordei mais tarde e to aqui, ainda jururu mas já já estarei 100%.

Tenho alguém aqui dentro que precisa muito de mim e eu tenho que cuidar-me e cuidá-la né.

Beijo grande pra todos e boa semana… que todos os dias possamos acordar mais felizes 🙂

Entradas Mais Antigas Anteriores